quinta-feira, 28 de outubro de 2010

CARTA ABERTA À SOCIEDADE DO RIO GRANDE DO SUL



A Associação dos Funcionários da Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (AFFOSPA), entidade legal representante dos músicos e funcionários da Fundação OSPA, vem a público posicionar-se sobre assuntos pertinentes à Fundação OSPA.  

1)     A AFFOSPA não foi consultada sobre a contratação do Maestro Isaac Karabtchevsky para os cargos de diretor artístico e de regente titular da OSPA. A iniciativa de contratação do maestro foi tomada única e exclusivamente pelo Presidente da Fundação OSPA, Dr. Ivo Nesralla. A AFFOSPA também não foi informada em nenhum momento sobre o pedido de demissão - solicitado pelo próprio maestro - e divulgada pela imprensa.

2)     A AFFOSPA sempre defendeu e continuará defendendo a manutenção de um elevado nível artístico para a OSPA, independente de partidos políticos, governantes, dirigentes de Fundações e maestros que ocupem momentaneamente cargos na Fundação ou no Governo do RS. A AFFOSPA também defende vigorosamente a continuidade da vinculação da Fundação OSPA ao Governo do Estado do RS – em uma gestão pública, participativa, transparente, qualificada e democrática - como a melhor alternativa para a continuidade e futuro da orquestra, rechaçando veementemente qualquer tentativa de privatização, sucateamento e terceirização por interesses escusos e demagógicos.

3)     A AFFOSPA entende que a problemática na Fundação OSPA tem origem estrutural e política. Após sessenta anos de atividades ininterruptas, ainda não possuímos uma sede própria para desenvolver e potencializar nossas atividades educativas e culturais. A construção do TEATRO DA OSPA, acompanhada de outras ações tais como a aprovação de quadro funcional de cargos e salários na Fundação OSPA, a reativação da Escola de Música - que atendia 300 estudantes de música e contava com uma orquestra sinfônica jovem de 60 integrantes abrangendo todos os instrumentos de uma orquestra sinfônica - de projetos artísticos e educativos qualificados e com a participação dos técnicos (músicos) trabalhando conjuntamente com a direção da Fundação e do Governo do Estado do RS para solucionar os atuais problemas.


Contamos com o apoio do futuro governo para que questões tão relevantes para a vida da Fundação OSPA tenham solução e que juntos possamos construir uma relação produtiva, qualificada e competente para a população do RS.


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Impasse na manutenção de instrumentos - mais uma carta


ILMO. SR. DR. IVO NESRALLA MD
PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO ORQUESTRA SINFÔNICA DE PORTO ALEGRE


Porto Alegre, 26 de outubro de 2010.


Senhor Presidente:

Através desta vimos novamente solicitar providências urgentes para uma solução definitiva no reajuste da manutenção de instrumentos - regulamentada através da Lei 12.404 de 20 de dezembro de 2005 - principalmente no que tange a modificação do artigo 4o.

Apesar dos sucessivos contatos e reuniões realizadas na Casa Civil, que contaram com a presença de autoridades competentes do Governo do Estado, da Procuradoria Geral do Estado, da Secretaria da Cultura e da Fundação OSPA e onde foi acordada a resolução da problemática causada pela ausência de reajuste na manutenção de instrumentos dos músicos da Fundação OSPA, até o presente momento não nos foi conhecida minuta definitiva da nova redação do artigo 4o na referida Lei.

Estranhamos a demora e ausência de ações efetivas por parte dos responsáveis que poderiam levar a um bom termo a resolução deste problema legal. Lembramos que a minuta do artigo, após examinada e acordada, deverá ser ainda promulgada na Assembléia Legislativa do Estado do RS.

Assim sendo, e pela ausência de atitudes concretas na resolução do problema que causam reiterados e crescentes prejuízos aos servidores da Fundação OSPA, não nos resta outra alternativa a não ser comunicar que estabelecemos prazo de sete (7) dias a partir do recebimento desta para encaminhamento da minuta do artigo, segundo acordado, sobre a manutenção de instrumentos ao fim do qual tomaremos medidas julgadas cabíveis na presente situação.

Atenciosamente,


ELSDOR RICARDO LENHARDT
PRESIDENTE da AFFOSPA

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Uma Oferenda da AFFOSPA

(Postagem publicada tbém no Musiquando)


Nasce uma nova iniciativa e um novo espaço para a música de câmara em Porto Alegre.

Os músicos da OSPA, através de seu órgão de classe (Associação de Funcionários da Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre - AFFOSPA) lançaram, no último sábado, dia 9 de outubro, na sala de ensaios da Orquestra, no Armazém A3 (Cais do Porto), sua própria série de concertos.


Este concerto inaugural representa o embrião da nova série de câmara, e, ao mesmo tempo, o marco inicial de uma nova fase da AFFOSPA.


A nova série de concertos de música de câmera constitui uma iniciativa de músicos da OSPA de criar um roteiro alternativo para esse gênero de música, e assim se aproximarem do público gaúcho em um ambiente mais íntimo e pessoal.

Fernando Cordella (convidado), cravo


Para este momento especial e simbólico, escolhemos a Oferenda Musical de Johann Sebastian Bach - uma coleção de peças baseadas em um tema musical apresentado a Bach, como desafio, por Frederico II da Prússia, o "rei-flautista". Inserimos uma sonata para flauta de J.G. Müthel - o último aluno de J.S. Bach - como elemento de contraste. Nossa seleção da Oferenda incluiu a grande Trio-Sonata para flauta, violino e contínuo, o Canon Perpetuus, e o transcendental Ricercare a 6.




Um projeto tão ambicioso só pode se consumar se for alimentado pela energia de muitas pessoas. A presença de músicos convidados, que se ombreiam a nós músicos efetivos da OSPA, nos enche de alegria e enobrece a série.


Luciano Dalmolin, contrabaixo; Cosmas Grieneisen, viola e coordenação geral



Carlos Sell, violino barroco



Artur Elias, traverso; Diego Schuck (convidado), viola da gamba


Como atração toda especial, tivemos os comentários do Prof. Dr. Ronel Alberti da Rosa. Figura única na cena cultural portoalegrense, nosso querido Ronel é instrumentista, regente, professor de filosofia e escritor (lançou recentemente A Sombra de Orfeu - Neoplatonismo Renascentista e o Nascimento da Ópera).

Suas falas durante o concerto, preparadas com grande cuidado, foram sempre curtas o suficiente para não tomar da música o lugar principal, e no entanto provocativas, profundas, como que socraticamente querendo (e conseguindo) "abrir a cabeça" dos ouvintes (e músicos tbém) para a experiência musical que se seguiria. A atuação de Ronel qualifica não apenas a série da AFFOSPA, mas a cena musical portoalegrense como um todo. Creio que ela estabelece um novo parâmetro para o conceito de recital comentado, que não deverá ser ignorado.




Impressões


A sala de ensaios da OSPA no armazém A3 do Cais do Porto é bastante problemática para a sua finalidade principal - acomodar os ensaios de uma orquestra sinfônica grande - e ainda requer investimentos para se tornar um local de trabalho adequado. No entanto, como sala de concerto, para grupos pequenos, revelou-se uma ótima alternativa: a acústica é boa, o ambiente, sóbrio mas agradável.

Como inexiste ali um palco, podemos montar a "cena" como quisermos. Tivemos a idéia de dispor os músicos em círculo, para favorecer ao máximo a escuta e o equilíbrio sonoro neste repertório polifônico e complexo. O público foi acomodado em um outro círculo (3/4 de círculo, na verdade), à volta dos músicos. Quase um teatro de arena. Essa disposição no espaço reflete bastante bem o ideal de organização horizontal, compartilhada; e parece favorecer tbém a integração dos ouvintes, diminuindo de certa forma o distanciamento entre músicos e ouvintes. O resultado foi mais do que satisfatório: uma verdadeira comunhão musical, momentos de rara beleza.

Para os próximos concertos, pretendemos experimentar com horários e formatos diferentes. Idéias é o que não nos falta. Esperamos que mais e mais colegas da Orquestra tragam idéias e propostas.



Agradecimentos:

aos músicos convidados Fernando Cordella e Diego Schuck, sem os quais este repertório não seria possível; ao Ronel pela generosa participação; à Direção da OSPA pelo apoio, muito especialmente nas pessoas de Éder Silva, responsável pela logística do A3, e Milena Fischer, assessora de imprensa; e ao Mano (Anibal Elias Carneiro) pelas imagens, plenas de emoção, sem as quais esta postagem não teria nenhuma graça!